Ética Pastoral

Dá me hoje bom encontro!
11/08/2017
Homilética – A Arte da Pregação
24/11/2017
Exibir tudo

Ética Pastoral

Ética Pastoral – Estudo

Disse Abrão a Ló: Não haja contenda entre mim e ti entre os meus pastores e os teus pastores, porque somos parentes chegados. (Gn 13:8)

Porquanto, havendo entre vós ciúme e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o homem?
Quando alguém diz: Eu sou de Paulo e outro: eu de Apolo, não é evidente que andais segundo os homens? De modo que nem o que planta é alguma cousa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento
(I Cor 3:3-4;7)

Sabe, amados, uma das coisas que a cada dia vejo e que me entristece é a falta de ética pastoral sobre a igreja de Deus em nossos dias. E creio que a falta dela ou o zelo pastoral acabam trazendo consequências à igreja num todo, muitas vezes imperceptíveis. Através disso, a falta de ética de alguns líderes, alguns membros são expostos ao ridículo literalmente. Alguns “ex-membros” são usados como “exemplos” de que cometeram algum tipo de deslize na fé, e que por falta de cuidado do líder, estes são expostos ao ridículo, e não restam dúvidas, geram problemas quase que insolúveis, em muitos casos, para o resto da vida.

Quando falamos mal de algum irmão estamos mostrando nossa total falta de ética e nossa incapacidade de liderar. Mesmo sendo líder de algum rebanho, jamais poderemos aplicar nossa autoridade no sentido de apontar acusando quem quer que seja, pelo contrário, deveremos estender as mãos como verdadeiros líderes e servos de Deus, cuidando sem precedentes, da obra que nos foi confiado.

O Salmo 23 é o verdadeiro manual para quem deseja de fato ser um pastor valoroso e amante de almas. É aquele que dá vida pelas ovelhas!

Mas antes de detalharmos sobre a ética pastoral, quero definir o termo e onde ela deve ser aplicada e quando.

DEFINIÇÕES

Ética: Parte da filosofia que trata da moral e das obrigações do homem. Implica no conhecimento do bem e do mal e na conduta humana. Conjunto de normas que regem o comportamento do ponto de vista do bem. De modo que a função da ética consiste em julgar nossos atos de conduta e apontarmos o que devemos fazer, nesse sentido afeta nossos atos e costumes cotidianos, o que fazemos ou deixamos de fazer. Observemos que a ética rege o nosso comportamento fazendo sempre o bem. Conhece como ética cristã ou ministerial, o conjunto de normas das Escrituras que regem toda conduta do cristão e do pastor. As cartas pastorais são uma fonte para instruir-nos para esta ética ministerial. Digo, não somente as cartas pastorais, mas toda a Bíblia. Vejamos exemplos dos patriarcas no livro do Gênesis.

Moral: Ciência que ensina as regras que devem seguir o bem e evitar o mal. Tem a ver com os costumes morais que se definem em uma sociedade específica para o desenvolvimento social. A ética é relacionada com o que fazemos. Uma é expressão da outra. Sem a ética, é impossível exercer a moral, já que esta última se submete a investigação da sociedade ou da cultura. Jamais podemos ser faltos de moral.

Princípios: Aspectos da vida e conduta que se consideram como os primeiros de uma coisa que a sociedade privilegia como básica e fundamental. Ao falar dos princípios morais, referimos aos aspectos sobressalentes, de todo um sistema moral. Na Bíblia entendemos os verdadeiros princípios a seguir e praticar.

Valores: O que vale uma pessoa ou coisa. É dizer, o valor moral o ético de uma ação ou comportamento. Quando falamos de valores, referimos a bens morais que se aplicam ao modo de vida em sociedade. São normas ou princípios que em cada cultura ou sociedade se privilegiam como principal valor. Ao ter valores definidos, é possível identificar com clareza, as contradições ao realizar as obras. Os valores empenham na conduta externa e visível dos princípios morais identificados no interior. Em razão, de que os valores morais são o guia para determinar a conduta. A necessidade e a importância do estudo desse tema se devem aos grandes problemas: o relativismo moral que imperam em nossa sociedade. Hoje encontramos em algumas congregações, pastores e líderes que tem perdido o temor de Deus e vivem em um cristianismo mundano e pecaminoso. A igreja contemporânea e a sociedade estão destruindo muitos pecados morais. Alguns deles são: orgulho e ostentação; abuso de poder; mentira; pecados sexuais; mau uso do dinheiro; exitismo, ativismo e sincretismo. Hoje, infelizmente, vemos um valor pessoal, social e financeiro e não um valor moralmente falando. Hoje muitos, a grande maioria, valorizam seus membros pelo que têm de posse, lamentavelmente!

O que se observa em muitos lugares é que o problema sempre é uma pessoa, nunca uma liderança fraca, denominação ou congregação. Quantas foram as vezes em inúmeras pregações que ouvi cada coisa, absolvendo as denominação e ministério, mas condenando os mais fracos e levianos.

Algumas se auto intitulado “igreja perfeita” se veem no direito de julgar. O espírito de fariseu e religioso, se manifesta nesta hora. O julgamento é um desses insensatos de falta de ética.

Lamento dizer que a era que estamos vivendo é a era da igreja de Laodicéia onde tem de tudo no sentido financeiro, onde a igreja está em lugar de destaque entre a sociedade, mas fraca, pobre, desnuda e sem o brilho do verdadeiro amor. (Apocalipse 3:14-22) Nesse texto ainda é colocado a forma para se restabelecer, mas digo, não será possível! Não estou insinuando que não existe igreja e líderes verdadeiros, mas me refiro que a situação está alarmante por que se trata de um numero sem precedente.

Apontar, discriminar jamais deve ser atuante na vida do líder. Jesus disse com muita propriedade: Amar uns aos outros (Jo 13:34). Mas parece que esta palavra é ignorada em algumas denominações, pois essa palavra é pouco pregada e praticada hoje em dia.

É necessário ver a igreja com os olhos do Senhor, vendo seus inúmeros membros (ainda que muitos destes membros se utilizem de pretextos (dentro e fora da palavra) com objetivo de lucro e prosperidade pessoal, no entanto, é dever de o líder aconselhar e suportar os mais fracos. Mas nós, que somos fortes, devemos suportar as fraquezas dos fracos, e não agradar a nós mesmos. Romanos 15:1

Mas uma verdade que sei é que mais cedo ou mais tarde Deus colocará a luz todas as coisas, inclusive o que foi retido com fraude e o Senhor está ouvindo o clamor dos verdadeiros ceifeiros (Tg 5:4-6).

Sem dúvida que todo cristão, mas, principalmente o líder deve estar balizado na ética, pois é por meio dela que identificamos a postura, quer seja do membro, principalmente de o líder.

Para o líder cristão a ética é indispensável, pois é por meio dela que conquistamos e arrebanhamos ovelhas para o aprisco do Senhor Jesus.

Falar mal de outrem ou de outro ministério usando ou não o púlpito, está fora do conceito cristão e, isso infelizmente estamos cansados de ver e ouvir pela mídia.

Ética está ligado a moral. A moral ligada aos princípios e por fim os princípios ligados intrinsecamente aos valores.

Resumindo: É impossível vivermos uma vida plena se deixarmos de lado esses adjetivos que enriquece tanto o homem comum, como os líderes evangélicos.

Sem a ética quer dizer, estar sem moral.

Sem moral, que está ligado a conduta comportamental, significa estar sem vergonha.

Sem vergonha, significa estar sem princípios e sem princípios se encerra dizendo que, o homem está totalmente alienado da palavra de Deus que é a regra de fé e conduta.

Como poderemos ser bons obreiros sem esses conceitos estar afixados dentro de cada um de nós? Impossível!

Lamento dizer que; hoje muitos estão aparentando fidelidade, sinceridade e integridade, mas, estão longe da realidade proposta pela Bíblia Sagrada.

O apóstolo Paulo exorta a Tito dizendo: Em tudo te dá por exemplo de boas obras (Tito 2:7)

Davi disse a seu sucesso que iria ocupar seu trono: E tu Salomão, seja homem (I Reis 2:2)

Que Deus nos ajude a sermos verdadeiros exemplos para uma sociedade que busca a ética, a moral, os bons princípios e principalmente os mais nobres valores de conduta pessoal.

Será que fomos chamados para sermos servidos ou para servir?

O apóstolo, dento em vista sendo o único que disse estas palavras: Sede meus imitadores como eu sou de Cristo, ele estava querendo dizer: Meus irmãos; onde eu vou, vocês podem ir; o que falo, vocês poderão falar; o que eu penso, vós devais pensar igual. Que ousadia! Ninguém pode apontar e achar algum ponto na vida deste apóstolo, de modo que viesse a denigrir ou manchar o nome de Cristo.

Que Deus nos ajude a sermos imitadores deste homem que, por sinal foi o pai da igreja entre os gentios. Grande exemplo deixado por ele!

Deus abençoe rica e abundantemente em Cristo Jesus.

Escola de Pastores

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *